Comércio on-line favorece surgimento de novas empresas físicas

Comprar pela internet já é uma tarefa comum para muitos consumidores brasileiros. Até o final do ano, a expectativa é que pelo menos 23 milhões de pessoas façam compras pela rede mundial de computadores, gerando uma receita de 14 bilhões de reais. O sucesso do comércio eletrônico tem impulsionado a criação de novos negócios. ” O país é conhecido como um celeiro de empreeendedorismo e a internet facilita a criação de novas empresas”, comenta o diretor-executivo da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico, Gerson Rolim.

Em alguns casos, a demanda do comércio virtual é tão grande que os empreendedores virtuais se veem obrigados a abrir negócios no mundo real. Foi o que aconteceu com a designer gráfica Denize Barros. Há sete anos, Denize começou a vender bolsas, que ela mesma fazia, em um blog. Por exigência da clientela, ela passou a abrir seu ateliê duas vezes por mês. “Algumas clientes precisam pegar nas bolsas, sentir o tecido, antes de finalizar a compra”, disse a designer gráfica.

VEJA VÍDEO DA REPORTAGEM

Érica Pontes/veja.abril

(Visited 13 times, 1 visits today)