Sistema simples reduz em até 15% o consumo de energia dos refrigeradores

A geladeira é responsável por cerca de 30% do consumo de energia em casa – ou seja: um único equipamento consome quase um terço da conta de luz de uma residência. Pensando em uma forma de diminuir esse consumo, Mirko Chaves Gutiérrez criou o Kit Geladeira, um projeto desenvolvido com orientação do Prof. Vivaldo Silveira Júnior durante sua tese de mestrado na Faculdade de Engenharia de Alimentos.

“A função da geladeira é absorver calor dos alimentos e dissipá-lo na parte traseira, a tubulação preta”, explica Gutiérrez. “Toda geladeira tem, portanto, uma parte que trabalha como condensador, cuja função é dissipar o calor. Normalmente, essa troca de calor é feita entre o equipamento e o ar”.

O kit desenvolvido facilita essa troca pois substitui o meio: em vez de ar, ele usa a água. “O princípio do equipamento é a condensação evaporativa: mantendo a tubulação úmida, a água, ao evaporar, rouba calor”, diz Gutiérrez. Essa modificação torna o conjunto mais eficiente – o que significa que o motor consegue economizar energia elétrica. “Fizemos testes de monitoramento de consumo e essa economia chega a ser de 15%”, diz. O sistema foi testado a 32º C e 24º C, condições de temperatura similares ás encontradas em diferentes regiões do Brasil durante todo o ano.

Basicamente, o sistema consiste de um reservatório de água que fica montado na parte traseira do refrigerador e possui uma pequena bomba hidráulica (pequena como a bomba de um aquário, por exemplo). Uma tubulação vertical e horizontal se encarrega de pingar água no tubo, tornando a troca de calor mais fácil.

A bomba possui isolamento próprio e o fio está ligado em série ao compressor, o que significa que o sistema funciona em conjunto com a geladeira: quando o motor estiver parado, ele também para de pingar água.

O custo aproximado do sistema gira em torno de RS$40 e RS$50 o que, considerando a economia de 15% na conta e a tarifa atual de R$ 0,331/kWh, poderia ser pago em muito pouco tempo. “Para uma família padrão brasileira, essa porcentagem economizada resulta em uma economia entre RS$23 e RS$25 por mês”, diz Gutiérrez.

Quanto à praticidade, o reservatório tem capacidade de oito litros de água, mas a quantidade que evapora é de um litro a cada 24 horas. O usuário teria apenas que verificar periodicamente se o nível da água não está inferior à altura da bomba e reabastecer quando necessário. Outro cuidado recomendado é o uso de material desinfetante, como o cloro, na água do reservatório.

“O produto ainda é um protótipo. Ele possui algumas limitações, como pingar um pouco – mas não chega a encharcar o chão”, diz o pesquisador. “Na primeira fase, o que queríamos era provar o desempenho do sistema – e conseguimos. Agora, estamos divulgando e procurando financiamento para poder melhorar o design, dar uma embelezada”.

Por Info.abril

(Visited 18 times, 1 visits today)