Medo de ir ao Ginecologista? Veja algumas dicas para evitar o constrangimento

Muitas mulheres acham super constrangedor ficar deitada naquela maca numa posição desconfortável e contando suas intimidades para o médico. A situação já pode ser estranha quando conhecemos o médico, imagine quando vamos consultar pela primeira vez. Fique atenta as dicas para lidar melhor coma  situação e não deixar de se prevenir.

Para quebrar o gelo e relaxar, muitas pacientes fazem brincadeiras que nem sempre encontram boa receptividade, transformando a consulta num show de constrangimento.

“Elas acham que olhamos a mulher com outros olhos e na verdade quem atende a paciente é o médico e não o cidadão”, diz o ginecologista da Unifesp, Luiz Henrique Gebrim. “Entendo que é constrangedor para elas falar de suas intimidades, mas fazer consultas periódicas ainda é a melhor maneira de evitar doenças graves”, continua ele.

Demonstrar simpatia e sinceridade ajuda muito na hora da consulta. “A relação entre médico e paciente deve ser mantida na base da confiança. A paciente precisa confiar no profissional que a atende para não omitir nada que possa alterar o diagnóstico, porém, não dá para fazer do médico um amigo de piadas”, diz o ginecologista Luiz Henrique Gebrim.

Algumas mulheres ficam mais a vontade quando levam o marido, ou a mãe, ou uma amiga. Isto depende muito da paciente. “Se ela vai se sentir mais segura com a presença do marido, não há problemas”, diz o ginecologista. Já outras preferem e se sentem mais seguras indo sozinhas.
Ginecologista não é psicólogo

É muito comum que as pacientes procurem o ginecologista para desabafar. Luiz Henrique Grebim explica que as mulheres se sentem mais fragilizadas quando o assunto é a vida pessoal. “Elas sentem necessidade de falar e daí os ginecologistas viram verdadeiros psicólogos de improviso. É difícil porque o médico precisa de jogo de cintura para mostrar para aquela paciente que o problema dela não é ginecológico, e sim emocional”, explica.

O que falar na hora da consulta?

Informações pertinentes são mais do que bem-vindas. “É importante saber se a vida sexual da paciente é ativa e se ela sente dores durante a relação sexual, por exemplo, mas não preciso saber detalhes do desempenho do parceiro, por exemplo”, diz Luiz Henrique.

Fique atenta!

Nenhum nervosismo ou constragimento deve impedir a consulta ao ginecologista, é essencial fazer a prevenção e visitá-lo regularmente.

Entenda que é um profissional que vai lhe ver como paciente. Se não se sente a vontade com um, tente se consultar com outro, até achar um que lhe dê segurança e confiança.

Todo profissional deve manter a ética, o que é tratado no consultório, deve ficar entre relação médico-paciente. O médico tem o dever de manter o sigilo profissional.

Para se sentir mais segura ao consultar médicos homens, você pode solicitar a presença de alguma enfermeira, na verdade a maioria sempre tem alguma enfermeira que o acompanha.

Converse com o médico e tire suas dúvidas. Ele é profissional e sabe dos possíveis problemas ginecológicos que as mulheres podem vir a ter, então ele tá mais do que acostumado.

Anita Mulher / Fonte: Com informações de Minha Vida

(Visited 145 times, 1 visits today)