Dormir em rede melhora qualidade do sono, segundo estudo

Uma equipe de cientistas suíços e franceses publicou nesta segunda-feira um estudo que sugere que o movimento de vai e vem de uma rede melhora a qualidade do sono e ajuda as pessoas a dormirem mais rapidamente.

O estudo incluiu 12 voluntários homens que aceitaram tentar tirar uma soneca tanto em uma cama normal quanto em uma rede, enquanto seus movimentos cerebrais, oculares e musculares eram monitorados por aparelhos.

As mulheres foram excluídas do estudo, uma vez que o ciclo menstrual pode afetar a monitoração do EEG (eletroencefalograma), informaram os cientistas.

Dois dos 12 homens tiveram que ser descartados da análise final, mas os outros 10 indivíduos dormiram mais rapidamente em uma rede do que na cama fixa e o cochilo de 45 minutos foi ainda mais profundo do que na cama, destacou o estudo publicado na revista Current Biology.

“Observamos uma transição ao sono mais rápida em cada um dos indivíduos que estavam no modo ‘rede’, um resultado que sustenta a noção intuitiva de que o sono é facilitado quando associado a este procedimento”, disse Michel Muhlethaler, da Universidade de Genebra.

A etapa de sono intermediária, conhecida como N2, que não inclui rápidos movimentos oculares e geralmente ocorre na transição para um período de sono profundo, também foi mais longa quando os voluntários dormiram na rede.

“A rede também teve um efeito prolongado na atividade cerebral, aumentando as oscilações mentais e a irrupção da atividade conhecida como eixos de sono. Estes efeitos são consistentes com uma atividade neuronal mais sincronizada, característica do sono mais profundo”, destacou o estudo.

Os pesquisadores esperam examinar se o efeito de balançar é similar em períodos mais prolongados de sono, e averiguar se pode ser utilizado para ajudar pessoas que sofrem de insônia.

Fonte: eBand

(Visited 116 times, 1 visits today)