Cuidados para manter uma boca saudável e livre de doenças gengivais

Uma boca saudável é aquela que além de estar livre contra as chamadas “doenças da gengiva”, é também aquela que proporciona uma boa mastigação — que consequentemente trará uma boa digestão e uma melhor absorção dos nutrientes. Na boca existem bactérias que ficam juntas e formam a chamada “Placa Bacteriana”. Ela é a principal causa de cáries e das doenças da gengiva (gengivite e periodontite). É uma película transparente que se forma sobre a superfície dos dentes e ao redor da linha das gengivas. Ela é composta por uma colônia de bactérias que decompõem o açúcar e os restos alimentares acumulados, produzindo ácidos que atacam os dentes e a gengiva.

Alguns hábitos alimentares são muito importantes, a dieta saudável é essencial para a prevenção de doenças gengivais, além de ser essencial na nutrição dos maxilares, tecidos gengivais e dentes. Mas os açúcares que ingerimos são utilizados pelas bactérias que habitam em nossa boca e são transformados em ácidos capazes de “corroer” os dentes e em substâncias tóxicas capazes de “descolar” a gengiva dos dentes.

Alimentos que tenham açúcar em sua composição e bebidas ácidas, como os refrigerantes, são capazes de “disssolver” (desmineralizar) os dentes. Portanto a ingestão do açúcar (carboidratos) deve ser controlada. Tenha uma dieta balanceada, com pouco açúcar e amido, pois estes alimentos colaboram significativamente na formação da placa bacteriana.

A Gengivite é causada pelo acúmulo de placa bacteriana sobre o tecido gengival.

Sinais da gengivite: sangramento e inflamação gengival; mau hálito; mobilidade dos dentes; gengivas avermelhadas, inchadas ou que se afastam dos dentes; costuma ser indolor.

A placa bacteriana, com o tempo, poderá se mineralizar, formando o chamado tártaro ou cálculo gengival. Juntos, a placa e o tártaro deslocam as gengivas através da destruição das fibras gengivais. Se não for tratado, a estrutura óssea que sustenta o dente poderá se comprometer e, em longo prazo, poderá ocorrer a perda do elemento dental. Esse abalo da estrutura óssea é denominado de Periodontite. São sinais da Periodontite: inflamação persistente; reabsorção (perda) óssea; presença de bolsas periodontais; presença de pus; mau hálito; não há dor (justamente por este motivo, não se percebe a destruição que está ocorrendo durante a periodontite. Só se percebe quando algum dente envolvido nesta condição começa a apresentar mobilidade, ou seja, quando o dente fica “mole”).

Tanto a gengivite quanto a periodontite são doenças que são passíveis de se evitar através de uma correta higienização e por meio de exames preventivos. A visita frequente ao dentista (mínimo de 6 em 6 meses) evita a instalação ou progressão dessas doenças e é importante para verificação da presença de restaurações quebradas, verificação da presença de tártaro, etc.

Escovas de dente

Para a prevenção da cárie e da doença periodontal (gengivite e periodontite), é necessário que se faça uma completa remoção da Placa Bacteriana, através de uma correta escovação. Para higienização, é recomendado consultar o dentista para informar-se qual a melhor escova dental para cada caso.  Para se atingir o objetivo de uma correta escovação dental, deve-se levar em consideração, além de uma técnica de escovação adequada, a freqüência de escovação (períodos diários). E neste aspecto, é recomendado fazer a higienização da boca pelo menos de 3 a 4 vezes ao dia.

Fio e fita dental

É também muito importante limpar entre os dentes, porque é a linha de frente da defesa na prevenção das doenças de gengiva e o mau hálito, e pode desempenhar um importante papel na prevenção da perda dental. O uso do fio ou fita dental é essencial, pois remove a placa bacteriana e alimentos que ficam entre os dentes e abaixo das gengivas, onde a escova não pode alcançar. A fita dental tem maior área de ação entre os dentes. Utilize o fio dental pelo menos uma vez ao dia.

Pastas dentais

Como auxiliar na escovação, temos as pastas dentais. A escolha de uma pasta dental é muito importante, mas sempre siga a orientação do seu dentista para saber qual é recomendada. A pasta de dentes ideal é aquela que tem flúor em sua composição (pasta dental ANTICÁRIE), sendo que as demais são recomendadas em casos particulares, como as que serão citadas à seguir:

a) pasta dental ANTITÁRTARO com pirofosfato (substância que impede a formação de tártaro, mas não remove o tártaro que já existe);

b) pasta dental ANTIPLACA com triclosan (um antimicrobiano, e é indicada especialmente para pessoas com gengivite).

Enxaguatórios

Como auxiliar da escovação existe os enxaguatórios bucais, que devem ser utilizados durante o tratamento odontológico, de acordo com a prescrição feita pelo dentista e que, de acordo com o quadro clínico, orientará quanto à forma e ao tempo de uso. Os enxaguatórios bucais são substâncias químicas que atuam nas bactérias presentes na cavidade bucal, sendo utilizados para auxiliar no controle e na redução da formação da placa bacteriana. Os agentes mais usados para o bochecho são:

a) A base de Gluconato de Clorexidina (tem ação antimicrobiana e é eficiente no controle de placa bacteriana, mas pode causar manchamento nos dentes e perda temporária do paladar);

b) Cloreto de cetilpiridínio (é um anti-séptico e desinfetante de efeito moderado e se tiver uso em maior frequência pode causar efeitos adversos como a sensação de queimação da língua e ulcerações);

c) Triclosan (tem ação antibacteriana e tem como vantagem de não causar o manchamento ou a mudança/perda do paladar).

Os enxaguatórios realizam uma função importante para os pacientes com problemas motores, no caso de pessoas com Mal de Parkinson, que não realizam a escovação adequada. Vale lembrar que o uso contínuo dos enxaguatórios é contra-indicado para pacientes que não sejam capazes de utilizar o medicamento sem acompanhamento, pois existe o perigo de deglutição.

Mas é importante sinalizar que o uso dos enxaguatórios bucais deve ser racional, ou seja, indicado somente nos casos necessários recomendados pelo dentista, como no caso do pré ou pós-cirúrgico ou das pessoas que apresentam a gengivite aguda e ou periodontite aguda, e que podem utilizar o produto como forma de controlar a doença.

Além disso, é importante frisar que os enxaguatórios são produtos coadjuvantes no combate à placa bacteriana. Eles não substituem o uso da escova de dente e nem o fio dental, pois a melhor forma de combater a placa bacteriana ainda é a escovação correta e o uso do fio dental.

A limpeza dental (profilaxia) realizada pelo dentista no consultório odontológico é extremamente importante, pois caso a placa bacteriana se acumule e endureça na superfície do dente, formará o tártaro e apenas o dentista poderá removê-la.

Uma excelente saúde bucal/geral terá reflexo numa excelente qualidade de vida.

IMPORTANTE

o As informações disponíveis neste artigo possuem apenas caráter educativo;

o Visite o seu dentista regularmente para prevenir e diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios.

Fonte e mais informações a respeito acesse: portaldafamilia.org.br – Dr. Marco Tulio Pettinato Pereira é Cirurgião-dentista

(Visited 56 times, 1 visits today)