Como saber se você é viciado em Internet?

Existe uma preocupação, principalmente dos pais, com o uso excessivo do computador. Para a maioria das pessoas, uso excessivo significa o número de horas passado em frente à tela, principalmente sem saber em que tipo de sites os filhos navegam. Como se pode avaliar se existe um vício em computador?

Uma das pioneiras dessa área – a Dra. Kimberly S. Young – estabeleceu uma lista de questões para serem respondidas pelo usuário que queira fazer uma auto-avaliação sobre o seu próprio uso dos computadores.

. Você se sente preocupado com a Internet: pensa sobre as suas conexões anteriores ou antecipa as suas próximas conexões?
. Você sente necessidade de usar a Internet com crescentes períodos de tempo de conexão para poder atingir satisfação?
. Você já fez tentativas repetidas de tentar, sem sucesso, controlar, diminuir ou parar de usar a Internet? . Você se sente inquieto, mal-humorado, depressivo ou irritado quando tenta diminuir ou parar o seu uso da Internet?
. Você fica on-line mais tempo do que tinha planejado?
. Você desafiou ou colocou em risco a perda de relacionamentos significativos, trabalho, escola ou oportunidades de carreira por causa da Internet? . Você já mentiu para membros da família, terapeuta, ou outros para esconder a extensão de seu envolvimento com a Internet?
. Você usa a Internet como uma forma de escapar de problemas ou para se aliviar de um mau humor (exemplos: sentimento de solidão, culpa, ansiedade ou depressão)?

A pessoa que respondeu “sim” a cinco ou mais das perguntas acima pode ser considerada como dependente da internet.

A quantidade de tempo passada diante do computador não é necessariamente o que caracteriza a dependência. O que caracteriza é o TIPO de USO que se faz da Internet ou se a pessoa está deixando de fazer outras importantes na sua vida para ficar no computador.

Se começam a aparecer danos em outras áreas, no âmbito social, nos relacionamentos ou até na saúde, é preciso tomar providencias para ajudar a melhorar isso.

Independente do tempo que alguém passe diante da Internet, esse tempo tem que ter qualidade e uma forma positiva; afinal se aplica essa recomendação a todos os outros setores humanos: o tempo que dedicamos ao nosso corpo, aos nossos filhos, aos nossos amigos. Tempo com qualidade e mais importante de tudo, continuar a poder desligar o computador no momento que quiser. Poder parar, esse é o antídoto contra toda e qualquer dependência, seja de drogas ou de amores destrutivos.

Teias

________________________________________________________________________

• O VÍCIO DA INTERNET É DOENÇA

De acordo com o psiquiatra americano Jerald Block, da Universidade de Saúde e Ciência de Oregon, o uso excessivo do computador deveria ser considerado um vício. No seu editorial no American Journal of Psychiatry, alega que o vício hoje é tão comum que deveria entrar na lista contida no Manual de Estatística e Diagnóstico de Distúrbios Mentais – o principal livro de referência da Associação Americana de Psiquiatria para classificar e diagnosticar doenças mentais.

Segundo o especialista, o vício da internet tem quatro componentes principais: uso excessivo, frequentemente associado à perda da noção do tempo ou negligência de impulsos básicos; sentimentos de irritação, tensão ou depressão caso o computador esteja inacessível; necessidade de computadores melhores, mais software ou mais horas de uso; e reações negativas como brigas, isolamento social e fadiga ligados ao uso do computador.

Block conclui o editorial dizendo que “infelizmente vício da internet é resistente a tratamento, acarreta riscos significativos e tem altos níveis de reincidência”.

BBC/S&L

(Visited 44 times, 1 visits today)