Anemia: tire suas dúvidas sobre os tipos, as causas e os sintomas da doença

A anemia é uma doença silenciosa que atinge cerca de um terço da população mundial. Seus sintomas são: cansaço, dores de cabeça, fraqueza, tonturas, palpitação, sonolência, desmaios, perda de concentração e apetite ou até mesmo tristeza.

Uma doença do sangue que atinge mais de dois milhões de pessoas no mundo, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a anemia não escolhe idade e pode afetar de recém-nascidos a idosos. Ela é diagnosticada quando há redução da quantidade de glóbulos vermelhos (ou hemácias) no sangue – que são responsáveis pelo transporte de oxigênio dos pulmões para todos os tecidos do corpo – ela ocorre quando a produção de glóbulos vermelhos é insuficiente ou a destruição desses glóbulos é maior do que a sua produção. Com a falta de oxigênio, os órgãos não funcionam direito e é nessa hora que o sinal de alerta se acende.

Existem diversos tipos de anemia:

  • A mais comum é a ferropriva, ocasionada pela falta de ferro. Porém, não é só uma alimentação pobre em nutrientes que ocasiona a doença. De acordo com o hematologista Rodrigo Santucci, do Instituto Hemomed, quando aparecer qualquer tipo de sintoma é necessário uma investigação mais cautelosa, pois a anemia ferropriva pode aparecer por conta de uma hemorragia no estômago ou intestinos em decorrência de úlceras, ação de parasitas intestinais ou até mesmo pela presença de um câncer. O especialista faz um alerta para as mulheres e afirma que um fluxo menstrual excessivo também pode provocar a doença. As grávidas e os vegetarianos também precisam ficar de olho em seus cardápios e devem acrescentar uma porção maior de proteínas e ferro nas refeições.
  • Outro tipo de anemia é a falciforme. Hereditária, recebe esse nome pelo fato das hemácias terem forma semelhante a uma foice. Essas células possuem a membrana alterada e por serem mais frágeis se rompem mais facilmente durante o transporte do oxigênio, o que ocasiona a deficiência. Embora seja mais comum na raça negra, no Brasil, por conta da miscigenação, pessoas brancas e pardas também desenvolvem a doença. A anemia falciforme também apresenta alguns sintomas diferentes dos outros tipos de anemia: o principal deles é a icterícia. Como os glóbulos vermelhos são frágeis e se rompem facilmente, eles liberam um pigmento amarelado no sangue, deixando a pele e os olhos amarelos. Outra queixa frequente de pacientes portadores de anemia falciforme são dores nos ossos e nas articulações provocados pela obstrução dos pequenos vasos sanguíneos. “Como os glóbulos vermelhos têm formato de foice, eles acabam obstruindo os vasos e provocando essas crises”, revela o hematologista.
  • Um terceiro tipo é a anemia – chamada hemolítica – caracterizada pela destruição de glóbulos vermelhos que circulam na corrente sanguínea. A utilização de determinados medicamentos, alguns tipos de infecções, doenças auto-imunes e questões hereditárias são as principais causas desse tipo de anemia.
  • Já a anemia megaloblástica ocorre quase sempre pela carência de vitamina B12 e ácido fólico. Porém, a utilização de drogas que afetam o metabolismo, como as utilizadas em tratamentos quimioterápicos, pacientes com leucemias ou mielofibrose e fatores hereditários também podem desencadear a doença. A megaloblástica tem alguns sintomas peculiares como glossite, um processo inflamatório crônico da língua. O hematologista Rodrigo Santucci lembra sobre a chance do paciente portador deste tipo de anemia desenvolver alterações neurológicas. O especialista afirma também que a anemia é uma doença séria e alerta para a falta de conhecimento das pessoas. “Independente do tipo de anemia, trata-se de um quadro sério que precisa de diagnóstico e tratamento. Cada tipo de anemia deve receber um determinado tratamento e somente o médico pode diagnosticar a doença e tratá-la”, completa.

O diagnóstico da doença é feito através de exames de sangue. O hemograma completo, contagem de reticulócitos, perfil de ferro, dosagem de vitamina B12 e ácido fólico e eletroforese de hemoglobina são exames iniciais para uma investigação.

Veja as respostas para as principais dúvidas:


1-) Em quais casos é utilizado o usos de medicamento para combater a anemia?

Toda anemia deve ser investigada e tratada.

2-) Anemia pode virar leucemia?

Não. Anemia não vira leucemia.

3-) Qual a quantidade diária de ferro deve ser ingerida diariamente?

A quantidade necessária diária é de 2 mg ao dia.

4-) Quando as pálpebras estão esbranquiçadas é sinal de anemia?

Não. Mucosas esbranquiçadas são um sinal de anemia.

5-) A anemia está relacionada ao peso do paciente?

Não.

6-) Dietas podem potencializar o aparecimento da anemia?

Sim.

7-) Disfunção na tireoide pode provocar anemia?

Sim. Doenças da tireoide como hipotireoidismo podem causar anemia.

😎 Alimentos combinados podem potencializar a absorção de ferro?

Sim. Alimentos ricos em vitamina C potencializam a absorção do ferro.

9-) Suplementos alimentares auxiliam no tratamento da anemia?

Se prescritos sob orientação médica podem ajudar, mas não é efetivamente um tratamento.

Fonte: Hematologista, Rodrigo Santucci, diretor médico do Hemomed – Instituto de Hematologia e Oncologia.

(Visited 675 times, 1 visits today)