Animais domésticos e gravidez: quais os riscos à saúde do meu filho?

Baseado na dúvida de uma leitora resolvemos esclarecer algumas questões a respeito do convívio entre crianças e animais domésticos. Quais são os riscos? Que cuidados devo tomar?  O que devo saber antes de ter animais domésticos convivendo junto com meu filho?

Tenho animal doméstico em casa, um cachorrinho, e pretendo engravidar, quais os riscos?

O pêlo, a saliva, as patas, as fezes e a urina de gatos e cachorros abrigam diversos microorganismos capazes de provocar doenças. Mas estas doenças não serão um problema se você souber como evitá-las. Basta tomar cuidados como vacinação e consultas periódicas ao veterinário, mesmo com seu animal sadio.

Entre os cuidados para evitar as doenças, alguns são fundamentais: não compartilhar alimentos ou cama com os animais, evitar carinhos como beijos ou lambidas muito próximas ao rosto, recolher rapidamente as fezes e urinas dos animais, procurar assistência médica imediata sempre que alguém for mordido.

Dentre diversas doenças, além da raiva e as doenças de pele, há também a leptospirose, toxoplasmose, brucelose, criptococose, larva migrans.

Outros vermes podem ser transmitidos através das fezes e das lambidas os cães e gatos. O contágio também pode ser pela contaminação da água e dos alimentos com os quais os animais tenham tido contato, ou ainda pela areia contaminada com as fezes. Além disso, os animais contaminados eliminam constantemente ovos dos vermes que ficam aderidos aos pelos. As pulgas fazem parte do ciclo de transmissão, e a ingestão acidental de pulgas ou de ovos, principalmente por crianças, leva à contaminação. Além do exame de fezes periódico, você deve evitar a infestação de pulgas.

Finalmente, você deve saber que, se quiser realmente ter um animal de estimação, basta, como tudo na vida, cuidar bem dele e ele só lhe trará coisas boas. A sua precaução é que vai afastar o perigo das doenças.

Nos primeiros meses de gestação toda atenção e cuidado é necessária, e o médico deve ser acompanhar toda a gestação. As fezes dos bichinhos (em especial os gatos) pode se transformar um risco para a gestante devido a infecção por toxoplasmose.

Mas antes que você saia correndo para doar seu amado bichinho, vale lembrar, contudo, que animais vacinados e bem tratados raramente representam risco à família. Fique de olho também na higiene de um modo geral.

“Cachorros podem pisar em cocô de gato na rua e levar para casa, o que acaba virando um foco de infecção”, alerta a obstetra Daniela Maeyama, do Hospital e Maternidade São Luiz, em São Paulo. Podem também cheirar as fezes de gatos na rua e levar no focinho, para casa, os micro-organismos que causam doenças.

Assim sendo, procure manter sua casa sempre bem limpa e arejada.

Com informações de http://boasaude.uol.com.br, vilamulher.terra, http://brasil.babycenter.com/

(Visited 439 times, 1 visits today)