Má ligação no cérebro pode causar pedofilia

Estudos dizem que cérebro de pedófilos ‘tem padrões diferentes’. Quem nunca se perguntou, ao ver alguma criança nas mãos de doentes que cometem crimes absurdos e traumatizam esses pequenos, praticando o que chamamos de pedofilia, o que se passa na cabeça deles (os pedófilos)?!

É uma pergunta que martela na cabeça de muita gente, que vem acompanhada pelo sentimento de revolta, desejo de justiça e a preocupação com o futuro dessa crianças que sofrem, e que  nem sempre entendem o que estão acontecendo com elas. Apenas sofrem, apenas são fantoches, simplesmente perdem a graça de viver mesmo antes de começar a entender o que é a vida, perdem o seu sorriso, a pureza…

Mas diante de milhões de indagações a respeito desse assunto, alguns estudiosos realizaram pesquisas pra entender a fundo o que acontece de fato no cércebro de um maníaco.

Estudo comparou cérebros de pedófilos com os de outros homens

Uma pesquisa realizada no Canadá indica que a pedofilia pode resultar de falhas existentes em algumas ligações do cérebro. Os cientistas do Centro de Adição e Saúde Mental, em Toronto, usaram exames sofisticados de ressonância magnética para comparar os cérebros de pedófilos com os de homens que cometeram crimes de natureza não sexual.

Num artigo publicado no “Journal of Psychiatry Research”, os pesquisadores explicam que os pedófilos estudados apresentavam menos quantidade da chamada “substância branca”, responsável por estabelecer as ligações internas entre diferentes partes do cérebro envolvidas na excitação sexual. Os estudiosos descobriram que algumas regiões dos cérebros dos pedófilos mostravam menos sinais de actividade do que os de outros voluntários, quando eram estimulados com material erótico.

O chefe da equipa de pesquisadores, James Cantor, explicou à BBC que os pedófilos não têm capacidade para diferenciar objetos sexuais apropriados dos inapropriados, justamente por causa da falta de ligações cerebrais adequadas.

No passado mês de Setembro, um outro estudo realizado pela Universidade de Yale, nos Estados Unidos, mostrou também que o cérebro dos pedófilos era diferente. Até hoje, acreditava-se que a pedofilia era provocada por um trauma ou por situações de abuso na infância. Mas o problema também já foi relacionado com um baixo quociente de inteligência (QI), o que sugere uma ligação ao desenvolvimento cerebral. Segundo a BBC, os pedófilos também têm três vezes mais hipóteses de serem esquerdinos.

No entanto, as pesquisas não significam que pedófilos não deveriam ser considerados responsáveis criminalmente por seus atos.

(Visited 37 times, 1 visits today)