Vai casar? Confira 7 dicas para não ter problemas financeiros

Confira sete dicas para que problemas financeiros não atrapalhem seu amor.

1. Ter objetivo: É preciso focar no objetivo – casar sem dívidas – e perseguir com obstinação até completar essa etapa.

2. Listar despesas: É importante conversar com o par e planejar e entender as próprias finanças antes de iniciar planos a dois. A dica é fazer uma lista das diversas despesas que cada um possui e dispor os dados numa planilha. Conhecer como está o próprio orçamento é fundamental nesse processo.

3. Cortar gastos: Use a criatividade para ser feliz, sem gastar muito dinheiro. O casal pode optar por diminuir as festas mais caras e encontrar alternativas de lazer que combinem com o novo projeto.Evite o consumo exagerado com roupas e adereços; controle gastos com viagens ou discipline o uso de combustível. Sobretudo, corte dívidas com o cartão de crédito e cheque especial, evitando o comprometimento da renda com juros altos.

4. Controlar o dia a dia: Todo orçamento tem um determinado padrão de consumo, mas há uma folga que pode ser identificada e poupada. Nos custos diários é sempre possível controlá-los. Exemplos básicos: diminuir gastos com a conta de telefoneinternet, canais pagos, pesquisar preços em supermercados e lojas, buscar promoções e só comprar quando realmente for necessário. Economizar faz parte do compromisso do casal, é quando você trabalha pelo outro e o outro retribui com o mesmo esforço e dedicação.

5. Poupar regularmente e investir: Feita a economia tanto cortando gastos desnecessários como controlando custos rotineiros, vai sobrar dinheiro. É esse montante adicional que deve ser poupado. Para resistir à tentação de gastar, a dica é: sempre que receberem o salário ou as receitas extras, já separem o dinheiro que será destinado para investimentos. Como exemplo, 30% das receitas pode ser o mínimo a ser poupado regularmente. Esse é percentual que instituições financeiras exigem como comprometimento de renda para conceder empréstimos imobiliários.

6. Estudar os investimentos de médio e longo prazo: Nessa fase, os namorados devem redobrar a atenção para escolher os melhores investimentos de médio e longo prazo. Em outras palavras: estudem as alternativas de investimento. A remuneração da tradicional poupança muitas vezes não supera a inflação, por isso é interessante buscar a segurança dos títulos públicos negociados através do Tesouro Direto ou oportunidades rentáveis de longo prazo na Bolsa de Valores. Historicamente, o investimento em ações de companhias brasileiras no longo prazo tem se revelado mais atraente que aplicações em renda fixa.

7. Ter paciência e cumprir o objetivo: É preciso ter paciência para acumular os recursos ao longo do tempo de namoro, ou seja, não resgatar o dinheiro antes de obter os rendimentos e controlar a ansiedade com a flutuação do mercado financeiro. A missão é acumular o volume adequado para realizar o projeto a dois. Cumprida todas essas etapas, resta manter a estabilidade financeira e amar bastante.

Fonte: http://itodas.uol.com.br/

(Visited 59 times, 1 visits today)