Algumas dicas para arrumar namorado

Será que existem mesmo regras claras no jogo do amor? O professor Ailton Amélio, no livro O Mapa do Amor, da Editora Gente, desvenda para você os caminhos para viver um grande amor.  

Encontrar um namorado não é tarefa fácil, às vezes até desanima. Para orientar a busca pelo grande amor, o professor Ailton Amélio, realizou estudos e pesquisas, que resultou na obra “O Mapa do Amor”.

Neste livro, o autor desvenda os caminhos do relacionamento amoroso, as diferentes formas de amar e os motivos pelos quais somos flechados pelo cupido. Ailton analisa teorias sobre atração, amor, namoro e casamento. O livro indica como o ser humano pode se comprometer sem medos e traumas.

Saia e divirta-se
Já que namorado não cai do céu com um champagne numa mão e rosas na outra, o jeito mesmo é aumentar as possibilidades de encontros. A dica é botar a cara para fora de casa e freqüentar locais que combinem com você. “Encare isso como uma tarefa. Saia, divirta-se, e de quebra, dê uma boa espiada ao redor, se gostar de alguém, faça algo”, ensina o professor.

Muitas pessoas deixam de sair de casa por não terem companhia, atitude essa que só aumenta a solidão. “É como uma bola de neve, a pessoa não sai porque não tem com quem sair, e não tem com quem sair, porque não sai, o que diminui a possibilidade de conhecer alguém”, explica o professor.

Será que ele está a fim?
Existem vários sinais que relevam as segundas intenções do outro. De óbvios a sutis, eles são dicas preciosas para aumentar a segurança na hora de “chegar junto”. Veja alguns deles:

  • Convites insistentes para cafés, almoços e jantares.
  • Orientar a parte dianteira do corpo na direção do outro na hora da conversa.
  • Tocar o outro nas mãos e braços durante a conversa, de forma carinhosa e freqüente.
  • Olhar para a pessoa como se nada mais existisse no local.
  • Manter-se muito próximo ao outro, diminuir a distancia cada vez mais.
  • Mostrar-se interessado, estimular o diálogo, inventar assuntos e buscar gostos em comum.
  • Demonstrar animação exagerada ao ver a pessoa.
  • Sorrir muito e rir de qualquer gracinha que o outro faça.


Ailton Amélio da Silva é psicólogo especialista em comunicação não-verbal. Doutor em Ciências, é criador e responsável pela disciplina de relacionamento amoroso nos cursos de graduação e pós-graduação da Universidade de São Paulo (USP), onde também desenvolve pesquisas na área de Psicologia .

(Visited 70 times, 1 visits today)